sexta-feira, 27 de junho de 2008

VIVA(!), A DOR.


Olá, ‘bom tudo’ pra você.

Hoje é sexta-feira, e no caminho para o meu trabalho tive como cenário um belo amanhecer – caso você não conheça as manhãs do planalto central, veja se dá uma passada por aqui nas próximas férias, ou mesmo nas viagens de negócios, digo-te: vale à pena, mesmo com a secura do clima (umidade, lááá embaixo) nestes últimos meses, a visão de um amanhecer por estes lados de cá, ‘uau’!

Mas, na verdade, queremos mesmo é dividir contigo um pensamento que ontem, ao chegar a nossa casa, veio à mente e inspirou em nós uma mensagem. Cremos que, provavelmente, você já tenha lido algo que possua o mesmo foco: a dor.

Você já deve ter ouvido essa frase: “Deus acaba por nos chamar através do amor, ou mesmo, pela dor.”

Então, já tinha ouvido (ou lido) essa frase?

Em outra mensagem nós já havíamos comentado sobre os sentimentos, assim, em geral. Não especificamente, como agora queremos tratar com esse sentimento que nestes tempos atuais tem afligido pessoas como eu e como você, a dor.

Iremos tratá-la não pelo lado ‘negativo’, pois queremos levá-lo a refletir o lado ‘positivo’. “Como assim, lado positivo da dor?!”, cremos que você possa ter pensado isso (risos!).


Mas, ela tem, a dor um lado positivo. Acompanhe, por favor, o nosso pensamento.

Cremos – até por experiências próprias, que a dor leva-nos na medida da sua intensidade em machucar-nos, a machucar os outros, a não raciocinar direito para vê-la por uma perspectiva positiva, ou seja, ela, no fundo do fundo da sua essência ela nos fará um grande bem.

Não é verdade que durante o processo de vivenciá-la, não ficamos mais sensíveis a tudo e a todos? Então, é nessa sensibilidade que queremos direcionar o seu foco sobre o lado positivo da dor.


Um dos grandes males – e isso é uma visão bem crítica e particular nossa, então, sinta-se à vontade de estar discordando – é que hoje alguns de nós não sente mais essa sensibilidade ao nos depararmos com a vivência dessa dor (seja ela movida por qualquer razão) em nós mesmos, ou pior, quando deparamos com a dor do outro.

Existe uma linha de pensamento ‘positivo’, assim: “Pense positivo, pense positivo e tudo dará certo...”. Bem, acreditamos nessa linha ‘positivista’ de pensamentos, ou seja, para nós cristãos: FÉ!

Entretanto, ocorre um atropelamento muito cruel dos nossos sentimentos com essa onda, um corte abrupto do que precisamos refletir. E, cremos que a dor em um determinado momento leva-nos a esse importante momento: refletir no que causa ou causou a dor.
É claro e sabemos disso, que não é fácil para ninguém chegar num momento de dor, parar, e dizer: “Não, chega! Vamos refletir sobre o que ‘cosmicamente’ leva-me a sentir profundo sofrimento.” Tudo bem, ironias à parte. Mas, queremos é dizer-te que se faz necessária essa reflexão. Não dessa forma irônica que digitamos, claro que não.

Existem alguns que podem estar ‘pensado’ que somos a favor da famosa ‘curtir fossa’. Nem pensar. Longe disso. Mas bem longe mesmo!

Somos a favor de você sentir sim a sua dor, respeitando profundamente o que você sente e principalmente o que ela provoca em você. Somos a favor é de você procurar lá no fundo mesmo buscar se (isso é forte e pode confrontá-lo) senão é você mesmo que não provocou essa dor. “Pronto, ele me chama agora de masoquista!”, pensamento seu agora, não?!

Mas, não. Não estamos chamando você de masoquista. Até porque para nós essas pessoas precisam é de libertação e cura! Muita libertação e de muita cura!
Queremos é alertá-lo que, algumas dores são provocadas por nossas escolhas erradas, sem vermos se realmente essa ou aquela opção, seria a melhor para nós, entende?!
Temos certeza de que como já aconteceu conosco, provavelmente, já ocorreu contigo ou com alguém próximo de você, pois não?!


E chegamos a outro ponto par reflexão: o que devo fazer para não sentir mais essa dor?


Ah, mas agora, para termos essa ‘receita’ somente a nossa busca do ‘Alto’ céu. Através da oração, pois com ela acabamos por nos aproximar de Deus. Incrivelmente, nos aproximamos de Deus.
Entendeu agora quando digitamos no início do texto que existe um lado positivo na dor. É esse: a aproximação que ela provoca levando-nos a Deus e ao seu bálsamo curador.

Caso você não esteja passando por alguma dor, então, pedimos que você venha a refletir sobre essa mensagem, pois saiba que alguém pode vir a precisar do seu ombro, do seu colo, do seu abraço, ou mesmo de uma palavra confortadora. E nessa situação, não racionalize tudo. Respeite a dor da pessoa, convide-a a orar e olhar para o ‘Alto’, pois é de lá que virá o conforto verdadeiro para a dor que ela sente.

Nós e você, já passamos por situações de dor. Tivemos alguém ao nosso lado quando precisávamos do que citamos no último parágrafo?

Não sejamos negligentes, pois é fato que Deus age de formas muito, mas muito estranhas para aproximar os seus escolhidos às vivências necessárias para que eles se libertem, cresçam espiritualmente e venham em um determinado momento agir com outros que passarão – com certeza- por algum tipo de dor.

Sabemos que este assunto é vasto e poderíamos até digitar mais coisas sobre isso, mas queríamos mesmo é dividir contigo esse pensamento. E levá-lo a refletir como os salmistas em seus escritos, que se iniciam sempre em tom de dor, mas no final crêem que somente Deus pode cuidar dele e dar-lhe o bálsamo para curar-lhe a dor.

Deus livra-nos da fossa desse mundo caído.

E, viva (!), a dor que leva-nos a procurar a Deus.
____________________


"Na minha angústia - dor -, invoquei o SENHOR, gritei por socorro ao meu Deus. Ele do seu templo ouviu a minha voz, e o meu clamor lhe penetrou os ouvidos."
Salmos 18.6





3 comentários:

Teresa Fernandes disse...

Queridos irmãos, que a Paz do Senhor Jesus esteja entre nós!

Gostei muito da explanação sobre a dor. Realmente é difícil para nós enxergarmos o que de bom existe nos momentos de dor, mas quando nesses momentos olhamos para o alto, para o trono da graça, Deus nos dá uma nova perspectiva da vida. Ele e somente Ele é o nosso ajudador, conselheiro, redentor. Eu mesma estou passando um momento desses de dor. Não tão intensa quanto a morte, mas bem severa para minha capacidade. Porém creio firmemente que Deus me libertará e eu sairei muito mais fortificada dese episódio. A título de curiosidade eu queria reforçar essa idéia de que a dor é boa. Como bióloga sei que quando o corpo sente alguma dor física está dando um sinal de alerta para que todas as células se mobilizem, cada uma na sua função, para a cura completa da raíz daquele mal. Caso não tivessemos a acapacidade de sentir dor morreríamos muito mais rápido e de doenças muito mais terríveis. Pensem nisso!!!
Beijos no coração.
Teresa Fernandes.

Teresa Fernandes disse...

Queridos irmãos, que a Paz do Senhor Jesus esteja entre nós!

Gostei muito da explanação sobre a dor. Realmente é difícil para nós enxergarmos o que de bom existe nos momentos de dor, mas quando nesses momentos olhamos para o alto, para o trono da graça, Deus nos dá uma nova perspectiva da vida. Ele e somente Ele é o nosso ajudador, conselheiro, redentor. Eu mesma estou passando um momento desses de dor. Não tão intensa quanto a morte, mas bem severa para minha capacidade. Porém creio firmemente que Deus me libertará e eu sairei muito mais fortificada dese episódio. A título de curiosidade eu queria reforçar essa idéia de que a dor é boa. Como bióloga sei que quando o corpo sente alguma dor física está dando um sinal de alerta para que todas as células se mobilizem, cada uma na sua função, para a cura completa da raíz daquele mal. Caso não tivessemos a acapacidade de sentir dor morreríamos muito mais rápido e de doenças muito mais terríveis. Pensem nisso!!!
Beijos no coração.
Teresa Fernandes.

Tita "I Love Jesus!" disse...

A dor é necessária, não pq somos masoquistas, mas pq infelizmente o ser humano aprende infinitamente mais com ela do que com venturas, pelo menos a maioria de nós. Quem não conhece alguém que estava distante de Deus e sob impacto de um infortúnio regressa aos braços Dele? Acontece que somos rebeldes e muitas vezes cremos que podemos andar por nossos próprios meios, o que nos leva a desilusões imensas.
Mas o mais importante é estar com Deus, na alegria ou na dor, nos regozijar com Ele. Qual a atitude que nós pais tomamos com uma criança muito teimosa? A mantemos numa redoma protegida de tudo,
ou
__guardadas as devidas proporções__,
deixamos que aprenda na prática?
Penso que com Deus é mais ou menos assim. Ele sabe a que nosso comportamento nos levará, mas permite que tenhamos livre arbítrio, nos deixa conhecer a dor que certos atos causam, para que disso possamos tirar uma valiosa lição. Uma vida sem dor, é utopia, mas contar com a ajuda divina é uma benção muito grande. Por isso podemos até ficar abatidos, derrotados __Jamais__.

Abçs carinhosos, Cintia